quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

Fichamento: Desigualdades de Gênero no Brasil



Os textos estudados durante unidade III compreendem como tema principal a transformação e relação de gênero dentro da sociedade, apontando o pensamento dos economistas no final do século XVIII, e destacando a visão de pensadores iluministas como William Godwin e Marquês de Condordet a qual estava voltada para um crescimento econômico com reflexão na justiça e igualdade. Na luta pela igualdade de gênero, cita-se no texto a Conferência Internacional sobre População e Desenvolvimento (CIPD) ocorrida em Cairo (1994). Demonstrando a Equidade de Gênero como direito humano, assim considerada pelo Fundo de População das Nações Unidas. É destacado nesta unidade o objetivo do Programa Bolsa Família em terem mulheres como titulares do benefício; o alcance do empoderamento da mulher, ou seja a autoconfiança, auto-estima que as levam terem motivação em lutar pelos seus direitos. Os textos fazem grandes referências usando indicadores como: Transição Demográfica, Taxa de Fecundidade Total, Janela de Oportunidades Demográficas, Nível de Reposição Populacional.
É destacado no texto ainda a relação gênero com a educação, a desmercantilização e o empoderamento das mulheres; refletindo também sobre a População Economicamente Ativa.

QUAIS OS PRINCIPAIS CONCEITOS APRESENTADOS NA UNIDADE? 

No final do século XVIII, os pensamentos dos economistas não estavam ligados no bem-estar do trabalhador, no gênero, ou até mesmo a questão de vê-los com equidade, a visão desses pensadores era a possibilidade de garantir a acumulação do capital e garantia de empregos sem visar os aspectos citados acima.

William Godwin (1756-1836) e Marquês de Condordet (1743-1794): Eram pensadores iluministas, e a visão deles estava voltada para um crescimento econômico refletido na justiça social e igualdade.

Conferência Internacional sobre População e Desenvolvimento (CIPD): Ocorreu em 1994 na cidade do Cairo, foi marcada pela luta pela igualdade de gênero (homem e mulher), em um ponto de vista de direitos e de desenvolvimento humano sustentável.


     Equidade de gênero: É considerada pelo Fundo de População das Nações Unidas um direito humano. Adotando a visão de que mulheres com melhor nível de educação e participação no mercado de trabalho estão mais habilitadas a colaborar para a saúde, bem-estar e produtividade de suas famílias.

Gênero no Programa Bolsa Família: Em relação de gênero o Programa Bolsa Família obteve grandes resultados em preferencialmente beneficiar mulheres, ou seja elas são titulares do programa, as quais são responsáveis pelo lar e que promove o sustento da família e mais também em um aspecto de valorização de gênero prefere como titular as mulheres que vivem com os seus cônjuges.

 Famílias Monoparentais femininas: Lares/Famílias em que as mulheres possuem o papel principal de prover sustento a família.

Empoderamento, Independência e Autonomia das mulheres: Aspectos que são vistos pelo Programa Bolsa Família como resultado da opção das mulheres serem responsável em receber o benefício.

Transição demográfica: Fato muito importante na história da humanidade, ligado a trajetória demográfica com níveis altos e baixos de mortalidade e natalidade, ao lado de variações nas relações entre gerações, gêneros, famílias e sociedade.

Hiato de gênero: Diferença entre homens e mulheres que deriva de papéis e condições sociais.

Transição da fecundidade no Brasil: Representa uma das maiores transformações de conduta de massa de todos os tempos, principalmente quando se avalia que a diminuição da referência média de filhos/as sobreveio em um conjunto de ampliação do tempo de sobrevivência e de melhoria da qualidade de vida.

Taxa de Fecundidade Total (TFT): Indica a média de filhos (feminino e masculino) que nascem vivos, apresentados por uma mulher durante o seu período reprodutivo, dentro da população residente, em um espaço geográfico e num ano considerado. É avaliada com base nas informações passadas (anteriores) de censos e constatações demográficas. Esse indicador é de extrema importância no que se refere a avaliação de tendências e comparações de estudos,  e auxílio no planejamento como também na gestão de políticas públicas.

Janela de oportunidade demográfica: Período apresentado no desenvolvimento populacional, em que a quantidade de pessoas que estão no período produtivo é maior que aqueles que estão em situação de dependência.

Nível de reposição populacional: Média de filhos (feminino e masculino) que uma mulher deve ter para o casal (homem e mulher) que deu origem aos filhos vivos seja reposto na próxima geração.

Educação: é um direito de extrema importância no que diz respeito à construção da cidadania e da democracia.

Desmercantilização: Momento em que a mulher deixa o mercado de trabalho em situação remunerada e opta em dedicar ao trabalho do lar, ou seja, a dedicação/trabalho a própria família.

População Economicamente Ativa – PEA: Constituída pela população em situação produtiva ou ocupada, destacando-se aqui trabalhadores em todas as situações empregatícias, e é também constituída pela população de pessoas desocupadas, ou seja, sem vínculo nenhum com algum tipo de trabalho, mas que estão procurando trabalho.

Empoderamento/Empowerment das mulheres: Significa o procedimento em que as mulheres adquirem uma força interior de luta e defesa dos seus direitos, como também aumenta sua autoconfiança e auto-estima controlando as suas relações pessoais como também sociais.

EXPLICITE QUE RELAÇÃO EXISTE ENTRE O QUE O TEXTO PROBLEMATIZA E A SUA ATUAÇÃO ENQUANTO GESTOR/A.
No final do ano de 2010, foi realizada uma pesquisa por mim e pela minha amiga Kathiúrcia Montovanelli Cazoti, que é também aluna desse curso, no bairro Vale Esperança do município de Boa Esperança,  e constatamos sobre o que o texto fala da preferência das mulheres como titulares do Programa Bolsa Família.
No Vale Esperança, foram identificados nas famílias beneficiárias do Programa Bolsa Família, que 96,66% dos titulares são do sexo feminino e 3,34% são do sexo masculino, conforme gráfico 01.


Quanto ao estado civil, 53,34% dos titulares são solteiros, 43,34% são casados e 3,34% são viúvos, divorciados ou separados, conforme gráfico 02.



Os gráficos 01 e 02 comprovam um número considerável na quantidade de titulares mulheres, que não vivem com o companheiro e possuem a responsabilidade de chefiar o lar.

Podemos então aqui fazer a reflexão que o texto da unidade fala sobre esse tipo de família, ou seja, as famílias monoparentais femininas, as quais além das mulheres cuidar da casa e dos seus dependentes, também promovem o sustento da família.

Em uma definição dada para esclarecer a preferência das mulheres serem as primeiras titulares do Programa Bolsa Família, Ananias (2010) diz:

“No caso do Bolsa Família, as mães são as primeiras titulares do benefício recebido pela família, o que acarreta forte impacto na promoção de equidade de gênero. Com isso, as mulheres passam a ter mais autonomia e poder de decisão dentro de casa.”

O objetivo dessa visão do governo acerca das mulheres titulares do Programa Bolsa Família é de promover a igualdade de gênero, concedendo a mulher uma maior participação no processo de tomada de decisões no lar.

EXPRESSE ALGUMA IDÉIA OCORRIDA EM RELAÇÃO AO SEU TRABALHO DEPOIS DA LEITURA E SISTEMATIZAÇÃO DA UNIDADE.
Com vista na minha função de Operadora Municipal Máster da Freqüência Escolar – Programa Bolsa Família, a minha idéia com referência a unidade estudada, é realizar uma pesquisa que demonstre se essas mulheres que são titulares do Programa Bolsa Família, realmente estão alcançando o empoderamento/emporwerment. Analisando o grau de estudos, e se há motivação dessas mulheres em se tornarem independentes desse programa de transferência de renda. Os dados poderão ser colhidos através de uma pesquisa de campo e com entrevistas. Através desses dados serão possíveis ações que motivam a auto-estima e autoconfiança da mulher, levando a busca de qualificação que auxilia na inserção dessa mulher no mercado de trabalho, como também em um grau maior de estudos (nível superior).

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

ANANIAS, Patrus. Uma questão de gênero. Disponível em: <http://www.mds.gov.br/saladeimprensa/artigos/artigo-uma-questao-de-genero-ministro-patrus-ananias>.

Natalia Honorio André
                                                                                                                     

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário